Sobrinha de Zezé di Camargo, de 20 anos, é cantora sertaneja e tentou vaga no ‘The Voice’


Foto: Divulgação

Ela tem 20 anos, canta desde os 3, já lançou CD, compôs mais de 30 músicas, toca diversos instrumentos e ganhou dois festivais gospel em sua cidade, Goiânia. Agora, Dayane Camargo quer alçar voos ainda maiores e se lançar como cantora sertaneja, seguindo, sem querer (garante ela!) os passos dos pais e dos tios famosos. Sobrinha de Zezé Di Camargo e Luciano e filha de Camargo, da dupla com Claiton, a jovem foi uma dos milhares candidatos que se inscreveram e participaram da seleção para o programa “The voice Brasil”, da Globo, mas que nem chegaram a ser aprovados para as audições às cegas do reality show.

“Se eu tivesse falado que era sobrinha ou filha de quem sou, talvez até me chamassem para essa etapa, mas não quero ir por esse caminho. Quando decidi me inscrever, no final do ano passado, quis optar por mérito mesmo. Fui lá, participei da seletiva e não passei. Sei da importância da minha família na música, mas quero vencer pelo meu talento, meu dom. Ser filha ou sobrinha de quem eu sou é algo natural, não quero que isso sirva de isca. Quero ser reconhecida por mim mesma”, garante Dayane, já tendo como exemplos os primos: a cantora Wanessa, a atriz Camilla e o DJ Igor Camargo. “Sei o quanto Wanessa sofreu e sofre preconceito por ser filha de quem é”, completa.

Assista ao vídeo de inscrição de Dayane Camargo no “The voice Brasil” 2013:

Cantora gospel

Até o ano passado, Dayane se apresentava em eventos da igreja Fonte de Vida de Goiânia, onde começou a cantar profissionalmente aos 10 anos de idade. Na mesma época ela aprendeu a tocar teclado, baixo, violão, gaita e bateria.

Aos 14 anos, lançou o seu primeiro CD gospel, motivada pelas vitórias em dois festivais do gênero. Para realizar o sonho de gravar em um estúdio, ela usou o dinheiro que seria destinado à sua festa de 15 anos. Aos 17, gravou um EP de pop/rock alternativo com cinco canções de sua autoria. Agora, ela foca em suas raízes.

“Antes, eu não pensava em retorno financeiro, mas eu sempre quis viver de música. Muitos vão pensar que estou seguindo esse caminho pela boa vida que a carreira proporcionou para minha família, e isso não é verdade. Quando pensei em gravar algo diferente do gospel, percebi que o que eu me encaixava melhor era no sertanejo. A genética coopera, claro, mas essa sempre foi a minha vontade, desde pequena”. Meu tio (Zezé Di Camargo) costuma dizer que a gente tem que ir aonde o povo está”, diz ela que, pensando na dificuldade da carreira artística, se matriculou na faculdade de Direito.

Incentivo do tio

É de Zezé Di Camargo que Dayene tem recebido os maiores elogios. “Ele até me disse que se soubesse que eu cantava tão bem uma música que ele compôs para a Paula Fernandes, ele teria dado para eu gravar. Essa é a minha maior felicidade e recompensa: um elogio vindo dele, que é um dos maiores compositores do Brasil”, conta ela, que nasceu no mesmo dia do tio famoso. “Meu avô, que me deu um violão nesse dia, costuma dizer que o fato de eu ter nascido no mesmo dia que o o meu tio não foi por acaso”.

Polícia Civil encontra arsenal utilizado por quadrilha


Dez pistolas 9 mm e mais de 2 mil munições foram apreendidas. Rota utilizada pelos bandidos para distribuição do armamento e de drogas também foi descoberta. Quatro pessoas foram presas.

Fotos: Divulgação SSP

Rogério dos Santos Silva, 43 anos, Hamilton dos Santos Leite Neto, 26, Manoel Batista Lima, 62 e Rogério Almeida Santos, 34, foram presos nesta terça-feira (13) por policiais das delegacias de Tóxicos e Entorpecentes e de Homicídios de Vitória da Conquista, em um sítio no município. Dez pistolas 9 milímetros, das marcas Glock e Taurus, cerca de duas mil munições, pertencentes à quadrilha estavam escondidas em três tonéis enterrados. Um rádio e um telefone via satélite utilizados para comunicação com aeronaves também foram apreendidos.

Fotos: Divulgação SSP

Preso em flagrante há 25 dias por associação ao tráfico, Rogério Santos Silva foi capturado novamente ontem quando deixava o presídio, mediante apresentação de um alvará de soltura. Sobrinho dele, Hamilton confessou as ações da quadrilha. “Rogério é o canal procurado por quadrilhas de fora do país em Conquista para a distribuição de drogas para outros estados”, afirmou o titular da 10ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Vitória da Conquista), delegado Cléber Rocha Andrade.

A ação desta terça-feira foi um desdobramento das investigações sobre o bando, que utilizava um avião e pista de decolagem próprios para a distribuição de drogas e armas. No último dia 20, os policiais civis identificaram a pista de pouso clandestina, em uma fazenda na região da Baixa do Cocá (distante 37 km de Conquista), de propriedade de Rogério.

Avião

Na ocasião os paraenses Diogo Túlio Pereira Dionísio (piloto) e Francisco Cleiton Passos de Oliveira, além do baiano Lázaro Santos Sacerdote foram presos em flagrante e confessaram que o município era rota de venda de pasta base de cocaína, trazida da Bolívia. O avião utilizado para o transporte dos produtos, um avião monomotor da marca Cessna, prefixo PR_OIE, pouco mais de R$ 7 mil em espécie, uma pistola calibre 9mm (uso restrito) e um veículo modelo Amarok foram apreendidos.

Já no dia 29 ele foi preso. “Ele já estava com o pé do lado de fora do presídio por decisão judicial, mas conseguimos nos adiantar e provar, mais uma vez, o seu envolvimento com o tráfico interestadual de drogas e armas”, comemorou o delegado, sobre a liberação do acusado, que deixaria a cadeia nesta terça-feira.

A investigação liderada pela 10ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Vitória da Conquista) também descobriu que Manoel e Rogério Almeida são caseiros da fazenda onde o arsenal foi encontrado. A dupla teria sido cooptada por Rogério para guardar o armamento em troca de dinheiro.

Fotos: Divulgação SSP

Rejeição do público derruba “Amor & Sexo” em todo o país


Foto: TV Globo | Divulgação

Apresentado pela modelo e atriz Fernanda Lima, o programa “Amor & Sexo” estreou ontem a sua 11º temporada e foi surpreendido pela pior audiência da história em todo o Brasil.

Se em 2017 a média dos televisores ligados foi de 16,7 pontos no Ibope, a deste ano ficou em 10,4, indica o Painel Nacional de Televisão (PNT). Cada ponto corresponde a 200 mil telespectadores.

Sites especializados em televisão apontam que foi uma das audiências mais baixas da casa este ano.

Além dos quadros apresentando conteúdo sexual, como o nome indica, Fernanda Lima e seus convidados várias vezes deram um tom político. O bordão “ele não”, lema de uma campanha nacional contra Jair Bolsonaro, foi ouvido repetidas vezes.

A audiência em algumas capitais teve queda de 60%, como em Florianópolis, onde o programa que tinha média de 20 pontos no ano passado e despencou para 8 agora.

A emissora não sabe os motivos da queda, mas segundo o UOL pode ser um reflexo da “onda conservadora” que toma o país.

Whatsapp comunica ao TSE que Bolsonaro não pagou por envios de mensagens


Foto: Divulgação

A pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os escritórios brasileiros das redes sociais Twitter e o Facebook informaram nesta segunda-feira (12) que a campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro não pagou para disseminar conteúdo na internet.

A comunicação oficial foi enviada após pedido do ministro Luís Roberto Barroso, relator da prestação de contas de Bolsonaro, que questionou sobre o pagamento pelo impulsionamento de conteúdo. Google e Instagram também precisam prestar informações.

O Twitter Brasil disse que as contas verificadas do candidato Jair Messias Bolsonaro e do partido político Partido Social Liberal (PSL) “não contrataram impulsionamento de qualquer conteúdo, seja este eleitoral ou não”.

Por sua vez, o Facebook atestou que a página e as contas oficiais do candidato do PSL mencionadas pelo TSE “não contrataram impulsionamento de conteúdos no período entre 16 de agosto de 2018 e 28 de outubro de 2018”.

Em ambos os casos, para que seja feita a identificação se terceiros pagaram por impulsionamento, a Justiça Eleitoral precisa da indicação das URLs correspondentes, “nos moldes da legislação vigente”.

O WhatsApp também divulgou nota, informando ao TSE que não foi contratado pela campanha de Bolsonaro para fornecer “serviços de impulsionamento de conteúdo na rede mundial de computadores”.

Denúncias sem provas

Uma das grandes polêmicas das eleições de 2018 foi uma denúncia do jornal “Folha de São Paulo” sobre o suposto uso de Caixa 2 para disparar milhões de mensagens contra o Partido dos Trabalhadores através do mensageiro WhatsApp, que pertence ao Facebook.

Até o momento a Folha não apresentou provas. Mesmo assim, o PT entrou com um pedido no TSE para declarar Bolsonaro inelegível por oito anos, acusando-o de “abuso de poder econômico”. O corregedor nacional da Justiça Eleitoral, ministro Jorge Mussi, abriu uma ação de investigação judicial. A partir daí as principais plataformas de distribuição de conteúdo digital precisaram se manifestar formalmente sobre o tema.

Moro: “Estou indo pra consolidar os avanços da Operação Lava-Jato em Brasília”


Foto: Divulgação

O juiz Sérgio Moro concedeu uma longa entrevista ao Fantástico, da TV Globo, que foi exibida na noite deste domingo (11). Apesar de a jornalista Poliana Abritta ter procurado criar “saia justa” com alguns posicionamentos, o futuro ministro da Justiça no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro abordou com naturalidade acusações comuns contra ela.

Ao falar sobre a decisão de se desligar da magistratura após tantos anos, explicou que foi uma decisão pensada e que está ciente das consequências. Ele negou estar fazendo ativismo político, como vem sendo aventado pelo PT e partidos aliados.

Moro contou que não tinha amizade com Bolsonaro e que foi sondado pelo cargo pelo economista Paulo Guedes no dia 23 de outubro, cinco dias antes do segundo turno. Mesmo admitindo ter ficado “tentado” com o possibilidade de ser ministro da Justiça só tomou uma decisão depois do segundo turno, no dia 1º de novembro, quando teve um encontro oficial com o presidente eleito no Rio de Janeiro.

O magistrado admite que “Há uma grande expectativa” sobre sua atuação, mas que espera corresponder. Ente os vários temas abordados na entrevista, declarou-se favorável à questões como a flexibilização para a posse de arma de fogo e diminuição da maioridade penal, pautas caras ao próximo presidente.

Sérgio Moro também rebateu as acusações que teria interferido nas eleições com suas decisões em relação aos processos de Lula sob sua responsabilidade. “Existe essa fantasia de que o ex-presidente Lula, que foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, teria sido excluído arbitrariamente das eleições por conta do processo criminal. Mas o fato que ele tá condenado e preso porque ele cometeu um crime”, reiterou.

Combate à corrupção e ao crime organizado

Ciente de que haverá muita pressão, o juiz acredita que poderá desempenhar a função de ministro com tranquilidade. “Não assumiria um papel de ministro da Justiça com risco de comprometer a minha biografia”, enfatizou.

“O grande motivador dessa aceitação do convite foi a oportunidade de ir a Brasília numa posição de poder elevada de ministro da Justiça e poder implementar com essa posição uma agenda anticorrupção e uma agenda anticrime organizado que não se encontram ao alcance de um juiz de Curitiba, mas podem estar no alcance de um ministro em Brasília”, destacou.

Ponderando sobre o que lhe aguarda nos próximos anos, foi enfático: “Estou indo para consolidar os avanço da Lava Jato em Brasília. Em parte, nas eleições, havia um sentimento muito forte contra o sistema político, que apesar de todos os casos de corrupção, nada fez. O presidente eleito foi identificado como alguém que modificaria esse status quo”.

Ele disse que não é político e que sua função no governo será técnica. Descartou qualquer possibilidade de vir a concorrer à presidências daqui a quatro anos. Já sobre a perspectiva de ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal, que deverá abrir uma vaga antes do fim do mandato e Jair Bolsonaro, não nega que seu nome poderá “ser cogitado”.

ASSISTA

Vinicius Costa fala das reais possibilidades de ser o próximo prefeito de Manoel Vitorino


Foto: Levy Barros

A expressiva votação dada a Zé Cocá em Manoel Vitorino, deixou o jovem vereador Vinicius Costa entusiasmado, diante de proposta de apoiadores, Vinícius não descarta a possibilidade de disputar o cargo do executivo municipal. Vinicius Costa Bispo de Sena (PTC), foi eleito vereador no pleito de 2016 com 492 votos, aos 23 anos de idade, Vinícius é o parlamentar mais novo do município e literalmente o novo nome proposto para pleitear o cargo do poder executivo, apoiado pelo então deputado eleito Zé Cocá, ele integra a enorme lista dos novos nomes que pretendem se candidatar a prefeito em 2020.

Por telefone, Vinícius nos concedeu entrevista e esclareceu que, nunca discutiu esse assunto com ninguém, que o nome dele para uma suposta candidatura surgiu entre aqueles que o apoiam e que desejam vê-lo disputando o cargo do executivo.

Assista a entrevista completa…

Vereador Jairo quer Academia da Saúde para distrito de Catingal


Foto: Divulgação

O vereador Jairo Espírito Santo, propôs na sessão da última quinta-feira (08), através de requerimento enviado ao chefe do executivo, o pedido para aquisição e instalação de uma Academia da Saúde no distrito de Catingal

O programa Academia da Saúde foi lançado em 2011, trata-se de uma estratégia de promoção e produção do cuidado com a saúde, a partir da implantação de espaços públicos. Conhecidos como polos do Programa Academia da Saúde, eles contam com infraestrutura apropriada, equipamentos e profissionais qualificados.

Jairo disse que os moradores do distrito de Catingal têm como principal atividade física, a caminhada, e que a Academia da Saúde vai facilitar o acesso aos cidadãos de Catingal e região, à equipamentos e profissionais qualificados, além de, informações com relação a saúde.

Contas da Prefeitura de Manoel Vitorino são aprovadas com ressalvas


Foto: Portal Catingal

O Tribunal de Contas dos Municípios aprovou com ressalvas, na sessão de 31 de outubro, as contas do município de Manoel Vitorino, de responsabilidade do prefeito Heleno Vilar, relativas ao exercício de 2017. O conselheiro Raimundo Moreira, relator do parecer, multou o gestor em R$ 5 mil por irregularidades identificadas durante a análise técnica dos relatórios. O prefeito também foi multado em R$23.040,00, que corresponde a 12% dos seus subsídios anuais, por não ter reduzido a despesa com pessoal para o índice imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

A relatoria ainda determinou o ressarcimento aos cofres municipais do montante de R$ 64.145,38, com recursos pessoais, sendo R$ 28.108,15 devido a não comprovação de despesas; e R$ 36.037,23, decorrente da diferença existente entre o balanço financeiro do exercício anterior e do atual, sem a apresentação de qualquer justificativa plausível.

O município de Manoel Vitorino apresentou uma receita arrecadada na ordem de R$ 34.298.921,32 e as despesas realizadas alcançaram a importância de R$ 32.143.935,29, o que resultou em superávit orçamentário na ordem de R$ 2.154.986,03. Contudo, os recursos deixados em caixa não foram suficientes para quitar as despesas inscritas como restos a pagar e de exercícios anteriores, restando caracterizada a ocorrência de desequilíbrio fiscal. O prefeito deve efetivar as devidas correções, tendo em vista que poderá macular o méritos das contas em seu último ano de mandato, caso a situação se repita.

Em relação às obrigações constitucionais e legais, todos os percentuais de investimento foram atendidos pelo gestor. Na manutenção e desenvolvimento do ensino foram aplicados 27,14% da receita resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferências, quando o mínimo exigido é 25%; nas ações e serviços públicos de saúde foram investidos 20,19% dos recursos específicos, sendo o percentual mínimo 15%; e aplicou 86,83% dos recursos do FUNDEB no pagamento da remuneração dos profissionais do magistério.

Já a despesa total com pessoal alcançou o montante de R$19.117.147,80, que corresponde a 55,73% da receita corrente líquida do município, extrapolando, portanto, o percentual de 54% previsto na LRF. Apesar de ter extrapolado o limite de gastos com pessoal, a relatoria entende que, tratando-se do primeiro ano de mandato do gestor, não é razoável a aplicação da penalidade máxima de rejeição das contas, cabendo, entretanto, advertir o prefeito de que a não recondução da despesa com pessoal aos limites legais poderá comprometer o mérito de contas futuras.

O relatório técnico ainda registrou a ocorrências de falhas formais e materiais em procedimentos licitatórios, encaminhamento de documentação mensal à Inspetoria Regional de forma incompleta, processos de pagamentos desacompanhados das folhas de pagamentos com a relação dos funcionários remunerados e suas respectivas contas bancárias e a admissões de servidores sem prévio concurso público.

Cabe recurso da decisão.

Manoel Vitorino: Prefeito Heleno Vilar se afasta do cargo e vice assume a cadeira


Foto: Divulgação

O prefeito Heleno Vilar pediu afastamento do cargo por 30 dias, período em que o vice-prefeito Silvany Barros assume a cadeira em seu lugar. Heleno vai tirar uns dias de férias a partir do dia 13 e deve retomar o cargo de prefeito do município ainda este ano. Essa semana o vice-prefeito Silvany Barros, que a partir do dia 13, assume como prefeito interino, já reuniu com o secretariado para articular o comando do município nesse período de ausência do prefeito Heleno Vilar. Silvany é empresário no ramo de farmácias, é filho de Catingal e agora tem a oportunidade de vivenciar a experiência de assumir o executivo municipal, com isso pode também adquirir experiência como gestor municipal para futuramente quem sabe, pleitear uma vaga de prefeito em Manoel Vitorino.