Em entrevista ao JR, Bolsonaro diz que é o nome para “unir o Brasil”


Em entrevista exclusiva concedida nesta quinta-feira (4) ao jornalista Eduardo Ribeiro, do Jornal da Record, o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, recordou o atentado que sofreu no início de setembro, criticou o PT e afirmou ser o nome para “unir o povo brasileiro”.

“Vocês podem ter certeza que não serei mais um capitão, mas sim um soldado do Brasil a serviço desse povo que merece e tem tudo para ser feliz”, afirmou Bolsonaro, que aparece na liderança da corrida presidencial em todas as pesquisas de intenção de voto.

Atentado

Na primeira entrevista após ter alta médica, Bolsonaro disse só ter tomado conhecimento da gravidade da facada dois dias após o atentado. “Eu não sabia o que estava acontecendo. Eu costumo dizer que Juiz de Fora não foi onde eu levei uma facada. Foi onde eu nasci de novo”, lembra o presidenciável, que agradece aos médicos que o atenderam em Minas Gerais.

Bolsonaro faz apelo por ‘voto útil’ para vencer no 1º turno

“Foram momentos difíceis, não esperava estar nesta situação, ainda mais que eu sou um homem de combate. Eu gosto de estar na rua, conversando com o povo, desembarcando em aeroportos, fazendo palestras. Eu gosto de ação”, lamenta ele, em seguida.

Bolsonaro ainda destaca que os médicos do hospital Albert Einstein, para onde foi transferido após o atentado, garantem que ele teve uma recuperação “fantástica” e que deve retomar as atividades normais já em dezembro.

Críticas ao PT

O candidato do PSL também disse se sentir “gratificado” por ser uma opção “contra tudo o que vem acontecendo no Brasil nos últimos anos”.

“Não podemos deixar que um partido que mergulhou o pais na mais profunda crise ética, moral e econômica volte ao poder com as mesmas personalidades. E você pode ver, tudo é conduzido de dentro da cadeia pelo senhor Lula, que indica aí um fantoche seu chamado Haddad que por incompetência sequer conseguiu passar para o segundo turno na sua eleição em São Paulo”, afirma Bolsonaro.

Bolsonaro: delação de Palocci é uma “bomba atômica” em cima do PT

Em outro momento da entrevista, Bolsonaro garante que, se eleito, vai escolher um time de ministros sem utilizar das indicações políticas. “Qual partido assaltou a Petrobras? Qual partido esteve envolvido com empreiteiras? São partidos que tiveram seus ministérios negociados pelo governo.”

Ainda em tom de crítica aos governos petistas, Bolsonaro afirma querer “resgatar a credibilidade do Brasil” ao redor do mundo. “O Brasil que sempre teve muita credibilidade aí fora pela alegria do seu povo, tudo o que é bom temos aqui e tudo isso foi jogado no lixo ao longo dos últimos 13 anos”, reforça ele.

Sobre a possibilidade de avançar para o segundo turno contra Fernando Haddad (PT), Bolsonaro avalia que “será o fim da nossa pátria” se o adversário chegar ao poder, mas garante que vai respeitar o resultado das eleições.

Fim do 13º salário

Ao comentar as críticas que tem recebido pela declaração de Coronel Mourão, candidato a vice-presidente em sua chapa, sobre o 13º salário, Bolsonaro esclareceu que nunca foi mencionado em acabar com a remuneração extra.

“Aproveitaram uma palavra errada dele para falar que nós queremos acabar como 13º salário”, disse ele, que completa: “O PT usa pequenos detalhes para dizer que eles são somente que estão preocupados com os trabalhadores e não os demais.”

Fakenews

Questionado sobre a divulgação de notícias falsas, Bolsonaro garantiu que alimenta suas redes sociais com verdades e disse combater mentiras espalhadas pelos adversários: “É duro você combater porque eles vão com seus militantes em todos os locais praticamente pregando isso aí.”

Sobre a possibilidades da criação das fakenews por parte dos eleitores, ele lamenta não ter controle das postagens. “Quando um seguidor meu acaba extrapolando a culpa cai em cima de mim. Como se eu fosse um capitão e tivesse uma tropa a meu comando para cumprir exatamente aquilo que eu quero”, avalia.

“Ele não”

Ao comentar a respeito do movimento “Ele não”, que levou milhões de pessoas às ruas contra a candidatura dele, Bolsonaro respondeu que o movimento foi encabeçado por “artistas que há muito vem mamando na lei Rouanet”.

Perguntado sobre o motivo de ele ter crescido nas pesquisas de intenção de voto após as manifestações, o candidato afirma que os eleitores observaram quem o estava atacando. “Será que eu sou tão mal assim? Eu quero o mal de todo mundo? Eu quero o mal de negros, mulheres, nordestinos, de quem recebe o Bolsa Família? Não é verdade”, garante.

Delação Palocci

Ao falar sobre a delação de Antonio Palocci, Bolsonaro parabeniza o ex-ministro dos governos petistas e diz que ele conhecia “todas as entranhas do poder”. “Não tem como ele não fugir da verdade”, afirma.

O presidenciável ainda observa que a colaboração de Palocci confirma que “a corrupção está colada no PT”, mostra que a sigla “traiu os trabalhadores” porque tinha “um projeto de poder”.

Presidenciáveis discutem ideias e propostas no último debate do 1º turno e atacam Bolsonaro


Candidatos à Presidência da República se posicionam no estúdio da TV Globo no Rio de Janeiro antes do início do debate — Foto: Marcos Serra Lima/G1

TV Globo reuniu Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede). Jair Bolsonaro (PSL) informou que não compareceria por recomendação médica.

Sete presidenciáveis debateram ideias, apresentaram propostas e atacaram o candidato ausente, Jair Bolsonaro (PSL), no último debate do primeiro turno, na TV Globo.

Participaram do debate nos estúdios Globo, no Rio de Janeiro, Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede). O mediador foi o jornalista William Bonner.

Bolsonaro foi convidado, mas informou que não compareceria por recomendação médica. Ele recebeu alta hospitalar no último sábado (29), depois de 23 dias de internação devido à facada que recebeu em um ato de campanha no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora.

No primeiro bloco, candidatos criticaram a chamada “polarização” entre Bolsonaro e o candidato do PT, Fernando Haddad.

De acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira, Bolsonaro tem 35% das intenções de voto; Haddad, 22%; Ciro, 11%; Alckmin, 8%; e Marina, 4%.

No segundo bloco, com temas determinados por sorteio, os candidatos discutiram custo Brasil, reforma trabalhista, saúde, infraestrutura, agronegócio, meio ambiente e combate às drogas.

No terceiro e no quarto blocos, as intervenções dos candidatos envolveram críticas à ausência de Bolsonaro e discussão de propostas, entre as quais reforma da Previdência, Bolsa Família, saneamento, educação, impostos e corrupção. Confira mais Aqui…

Pesquisas alertam equipe de Haddad para possível vitória de Bolsonaro no 1° turno


Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

A constatação de que Fernando Haddad (PT) terá dificuldade em derrotar Jair Bolsonaro (PSL) em um eventual segundo turno, fez dirigentes petistas admitirem que, tão logo saia o resultado da votação no domingo (7), o candidato precisa fazer um apelo por união em torno de seu nome, sobretudo aos eleitores do centro.

De acordo com jornal Folha de S.Paulo, a última pesquisa Datafolha alarmou a campanha de Haddad. A avaliação é a de que o índice de 39% que Bolsonaro atinge nos votos válidos pode aumentar no domingo (7). Os petistas temem que haja mais votos brancos ou nulos do que o estimado hoje.

A campanha do ex-prefeito de São Paulo ainda acredita que a disputa não se encerrará agora, mas o medo de uma derrota precoce já é real dentro do grupo.

Autor de facada contra Bolsonaro vira réu com base na Lei de Segurança Nacional


A Justiça de Minas Gerais acolheu a denúncia Adélio Bispo, autor da facada contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL), e o transformou em réu. Segundo o G1, ele foi denunciado Ministério Público Federal por atentado pessoal por inconformismo político, crime previsto na Lei de Segurança Nacional.

A decisão foi do juiz da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, Bruno Savino. Caso condenado, Adélio pode pegar pena de 3 a 10 anos de reclusão. Ele foi o responsável por dar uma facada em Bolsonaro durante um ato de campanha na capital mineira, em 6 de setembro.

Prefeitura realiza entrega do Certificado de Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais


Foto: Divulgação

No último sábado (29), a Prefeitura Municipal de Manoel Vitorino, por meio da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Comercio realizou a entrega do certificado do Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR). Na oportunidade, o secretário Almir Nunes, juntamente com a equipe da secretaria de Agricultura fizeram a entrega aos proprietários de imóveis rural do distrito de Catingal.

O evento contou com a presença do prefeito Heleno Vilar e do vice-prefeito Silvany Barros, além dos vereadores Jairo Espírito Santo e Ailton Nascimento.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) substituiu o antigo Cadastro Ambiental Rural (CAR) pelo Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR), que atende a um dispositivo na Lei Federal no 12.651/12 e representa um registro público eletrônico de âmbito estadual, que serve de auxílio para o controle e fiscalização das atividades rurais e no desenvolvimento de Políticas Públicas de gestão.

O Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR) é a principal ferramenta prevista na nova lei florestal para a conservação do meio ambiente. De acordo com Almir, a entrega aconteceu também no Salgado Grande no dia 30 e na sede do município a partir do dia 01.

Bolsonaro recebe alta e deixa hospital em São Paulo


Foto: Divulgação

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) recebeu alta às 10h deste sábado (29), segundo boletim médico divulgado às 14h. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desde 7 de setembro, um dia após sofrer uma facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG). Ele precisou passar por duas cirurgias desde então.

Segundo o presidente do PSL, Gustavo Bebbiano, Bolsonaro está “plenamente recuperado”. De acordo com o presidente da sigla, ele surpreendeu a todos os médicos, mas não tem condições de fazer campanha nas ruas.

“Ainda há uma fragilidade física que pode causar um retrocesso nessa recuperação, não haverá corpo a corpo. Campanha de rua ele está impossibilitado de fazer”, disse Bebbiano em frente ao hospital.

Pouco antes, Major Olímpio, candidato do PSL ao Senado, afirmou que no final da manhã, os médicos já haviam passado todas as prescrições médicas e que ele só aguardava o horário do voo, às 15h40 no Aeroporto de Congonhas, para o Rio de Janeiro. “Está eufórico, brincalhão, muito feliz de ir para casa”, disse o major.

Bolsonaro embarcou às 15h46 e foi recebido com vaias e aplausos.

Bolsonaro teve o cateter usado para administrar medicação retirado na quarta-feira (28). No local havia pequeno foco de infecção bacteriana. Como precaução os médicos decidiram manter a medicação por antibiótico na veia por mais um ou dois dias.

Nesta sexta-feira (28), Bolsonaro postou uma foto em sua conta no Instagram fazendo a barba no banheiro do quarto onde está internado no hospital. “Me preparando para voltar à ativa”, escreveu.

Operação evita roubo de avião de valores e desmonta quadrilha que agia na BA e PE


FOTO: Divulgação SSP

Um operação integrada deflagrada, na madrugada desta quarta-feira (26), evitou o roubo de um avião que transportava valores e desmontou uma quadrilha que agia nos estados da Bahia e Pernambuco. Com seis criminosos foram apreendidos, até o momento, sete fuzis, entre eles um calibre 50.

Equipes da PM da Bahia (Cipe Caatinga), da polícia de pernambuco e da Polícia Federal acompanhavam a movimentação da organização criminosa. Sabendo do plano de roubar uma aeronave com valores, no Aeroporto da cidade de Salgueiro (PE), a operação foi deflagrada.

O grupo atirou nas guarnições e, no confronto, seis criminosos, não identificados, acabaram morrendo. Com a quadrilha os policiais apreenderam um fuzil calibre 50, seis fuzis AK 47, carregadores e munições.

Diligências em busca de outros integrantes estão sendo realizadas na divisa entre a Bahia Pernambuco. “Mais uma demonstração da importância do trabalho integrado. Avançamos muito no combate ao roubo de banco e agora estamos fechando o cerco contra quadrilhas que agem contra transportadoras de valores”, destacou o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Teles Barbosa.

FOTO: Divulgação SSP

Convenção da Assembléia de Deus persegue e derruba canal que denunciou “falcatruas”


Foto: Reprodução do Youtube

O canal no Youtube “Fala Zion” está impossibilitado de publicar vídeos, e com sérios riscos de ter o canal excluído. O canal pertence ao Youtuber Zion, que aborda temas polêmicos como; política, religião, entre outros.

Segundo o Youtuber, durante uma live, ele explicou que o canal foi processado 3 vezes pela Convenção das Igrejas Evangélicas Assembléia de Deus de Santa Catarina e do Sudoeste do Paraná (CIADESCP) após ele ter feito um vídeo falando sobre uma dívida da própria convenção, que poderia deixar igrejas sem patrimônio.

Apesar da quantidade de processos, o juiz absolveu o Zion. Não satisfeitos, a liderança da CIADESCP procurou meios de derrubar seu canal. Foi então que indicaram uma empresa que já era conhecida por ter derrubado alguns canais, e, tinha agora o objetivo de derrubar o “Fala Zion”.

O Youtuber ainda denuncia a convenção de ter pago uma nota por aquele trabalho, ou seja, pagou um bom dinheiro para a empresa derrubar o seu canal. Ele afirma isso com muita convicção, pois falou que tentou buscar meios de que isso não acontecesse, e não conseguiu.

O canal em questão recebeu 3 “strikes” de direitos autorais em intervalos de menos de 12 horas. F. Gospel

Confira o vídeo em que ele se explica com os inscritos, e desabafa tudo o que está acontecendo: