Pastor se arrisca para mediar conflitos em Hong Kong: “Como cristão, é o que posso fazer”


Pastor Roy Chan lidera o projeto “Proteja os Filhos”, que visa evitar a violência durante protestos em Hong Kong. (Imagem: BBC / Reprodução)

À medida que os protestos de Hong Kong se aprofundam, um pastor e um grupo de voluntários majoritariamente cristãos estão tentando impedir que os confrontos aconteçam.

Os voluntários do grupo chamado “Protect the Children” (“Proteja os Filhos”) se colocam entre manifestantes e a polícia em uma tentativa de mediar.

Mas a situação está ficando cada vez mais difícil com os confrontos ocorridos no início das manifestações – e os voluntários inevitavelmente se viram atraídos pela crescente violência.

O grupo é liderado pelo pastor Roy Chan, que lidera uma pequena igreja no território autônomo.

“Nós somos a Igreja da Boa Vizinhança. Durante este período [de protestos], a nossa igreja iniciou o projeto ‘Proteja os Filhos’. Nós usamos esses coletes amarelos e vamos a diferentes locais de protestos. Onde há conflito, nós tentamos mediar, seja entre cidadãos e manifestantes ou entre policiais e manifestantes”, disse ele em depoimento para a BBC.

“Quando vemos uma situação injusta, nós temos que sair e proteger os mais jovens”, acrescentou. “Como cristão, isto é o que eu posso fazer pela sociedade e por Deus. Nossos membros são de diferentes setores da sociedade e nem todos são cristãos. São mães, pais, idosos, adolescentes, todos trabalhando juntos”.

Chan explicou que o procedimento dos grupos que agem pelo projeto é evitar conflitos e violência, não importa de onde estejam partindo.

“Quando chegamos aos locais de protestos, nos separamos em grupos, com sete pessoas em cada grupo, formamos uma corrente humana e tentamos impedir que a polícia avance. Esse é o espírito do auto sacrifício: ‘Batam em mim, mas não batam nos garotos'”, destacou. “Nós temos um princípio: queremos que cidadãos de Hong Kong não machuquem outros cidadãos de Hong Kong. Os policiais também são cidadãos de Hong Kong, eles também têm família. Nós oferecemos apoio a muita gente”.

Comentando um episódio complicado, o pastor explicou que as situações ficam intensas a tal ponto, que tentativas de explicar mal entendidos podem parecer em vão.

“Um de nossos membros tentou defender um idoso, mas a polícia o pegou imediatamente, pensando que ele estava impedindo os oficiais de fazerem seu trabalho. Eu rapidamente corri até eles e disse: ‘Sinto muito, mas creio que houve um mal entendido’. Mas antes que pudéssemos terminar a conversa, a polícia usou spray de pimenta em nós”, contou.

Mas apesar de episódios aparentemente frustrantes, Chan assegurou que não desiste de sair às ruas para mediar conflitos.

“Eu acredito que o nosso projeto não seja 100% eficaz, mas quando saímos às ruas com amor, isso faz com que os cidadãos de Hong Kong mantenham a esperança em dias tão tristes”, explicou. Guiame

“Traficantes evangélicos”: a falta de escrúpulos da revista Época


Logo da Revista Época. (Foto: Reprodução)

Quem trabalha com sites de notícias sabe muito bem que, dependendo da manchete que se coloca, o “clique” é maior. Ou seja, alcança-se um público maior com uma chamada que desperta uma curiosidade maior do leitor. Isso é até cabível, mas há de se respeitar limites.

Não se pode, em nome da necessidade de um alcance maior, induzir o leitor a pensar de uma forma que nem o conteúdo da matéria visa incutir na sua mentalidade. Se eu chamo uma matéria de “Como a expansão de uma facção de traficantes evangélicos (…)”, não importa mais o que eu diga, estou inconscientemente trabalhando para que muitos leitores acreditem que é possível cometer crimes na sociedade e ainda carregar o nome do Evangelho consigo.

E isto não é um erro; é uma postura típica de quem adere ao jornalismo mau caráter, que é capaz de deixar muita coisa nas entrelinhas e se esconder na liberdade de expressão, que é um direito constitucional.

Você lê a matéria da Revista Época, que traz a narrativa histórica do traficante carioca conhecido como “Noventinha”, e percebe que eles fazem distinção do que é o verdadeiro evangélico – o que crê e vive segundo os padrões e valores do evangelho – para este fenômeno absurdo que são os fora da lei que instrumentalizam a fé para “santificar” suas práticas de violência e de estabelecimento de um poder paralelo no estado do Rio.

No entanto, isso é perceptível para todo aquele que vai pela “chamada” da matéria, que no caso é a grande maioria dos usuários da internet?

É aí que vemos o nível de irresponsabilidade (para não dizer outra coisa) destes jornalistas que são extremamente intolerantes e preconceituosos com a fé evangélica. Eles não possuem um pingo de pudor quando fazem uma abordagem como essa. Não se importam se uma manchete pervertida como esta pode causar uma onda ainda maior de preconceito e ódio a evangélicos que buscam viver bem distantes da prática criminosa.

Bem sabemos que nem todo o que se diz evangélico é santo – basta ver Eduardo Cunha ou a líder do PT, a “equilibrada” Gleisi Hoffmann –; porém, o que temos de considerar é que a suposta parte nunca pode definir o todo. Evangélicos perdem o direito de se afirmarem evangélicos quando eles buscam viver na prática do pecado, o que muitas vezes se configura em crimes no nosso código penal.

Evangélico, no sentido da própria etimologia, é quem de fato se esforça para manter distância da violência, da ganância, do ódio e do preconceito contra outras religiões.

A luta pela liberdade religiosa no Ocidente tem origem no movimento da Reforma Protestante. Somos os primeiros a defender o Estado Laico e as liberdades individuais, e isso com a prerrogativa de quem efetivamente têm lutado por democracia e liberdade há séculos.

A revista Época mais uma vez presta um desserviço à população com a publicação de uma matéria que visa, no seu âmago, denegrir a imagem de uma ala da sociedade que vem incomodando muitos da “desconstrução”; estes que, em nome de uma pseudo tolerância, buscam estabelecer uma maneira hegemônica de pensar que é antiDeus, odeia a configuração familiar natural e é essencialmente ressentida porque os valores cristãos permanecem fundamentando a sociedade brasileira, ainda que eles não queiram aceitar este fato. Maycson Rodrigues

Em Manoel Vitorino, Jequié bate Poções por 9 x 1 e dispara na liderança


Fotos: Emanuel Jr.

Jequié venceu a segunda partida seguida e dispara na liderança do grupo 5 do Campeonato Baiano de Futebol Feminino 2019, com a melhor campanha entre as 18 equipes participantes até o momento. Na manhã deste domingo (dia 13/10), as 10h da manhã com o mandato de campo, a equipe do Jequié recebeu o Poções, no Estádio Municipal Renato Vilar em Manoel Vitorino, onde aplicou a segunda goleada, dessa vez foi 9 x 1, com os gols de Layla, Samile, Lidiane, Sheila (2), Ju, Ruiva e dois gols de Lora que mora em Manoel Vitorino. A equipe do Jequié folga na próxima rodada e só volta a campo no dia 27/10, as 15h fora de casa conta a equipe do Poções no Estádio Heraldo Curvelo.

Resultados da rodada:

Flamengo de Feira 4 x 0 Jaguaquara
Salinas 0 x 7 Feira de Santana
Bahia 2 x 0 Olímpia
Jequié 9 x 1 Poções
Juventude 3 x 1 Vítoria da Conquista
Queimadas 4 x 0 Serrinha

Jr. Mascote

Tragédia na Avenida Presidente Vargas: vítima de batida frontal entre carros morre em Vitória da Conquista


Fotos: BLOG DO ANDERSON

Um grave acidente na Avenida Presidente Vargas, trecho entre os bairros Candeias e Primavera, Perímetro Urbano de Vitória da Conquista, deixou duas pessoas feridas na tarde deste domingo (13). O BLOG DO ANDERSON esteve no local quando equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, do 7º Grupamento de Bombeiros Militar e da 77ª Companhia Independente de Polícia Militar realizavam os procedimentos de resgates das vítimas. Uma delas faleceu no Hospital Geral de Vitória da Conquista. As identidades ainda não foram divulgadas. Blog do Anderson

“Toma vergonha na cara!”: Malafaia reprova presença de cantores gospel no Rock in Rio


Foto: Reprodução

O Rock in Rio, festival de música secular realizado com suporte do Grupo Globo, foi tema de um tópico do sermão pregado pelo pastor Silas Malafaia sobre a graça de Deus, e o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) criticou artistas gospel que compareceram a um dos dias do evento.

De acordo com Malafaia, são pessoas que pregam uma “graça leviana”, pois não têm compromisso, e nem incentivam aqueles que os seguem a viverem em santificação.

“Eu to vendo aí cantores famosos que tem milhões [de seguidores] no YouTube [dizerem] ‘não tem problema cantar música profana’. Estão ensinando isso à nossa garotada. Crentes indo no Rock in Rio… vai tomar vergonha nessa cara! Músicas profanas, que debocham de Deus!”, lamentou o pastor.

A pregação de Malafaia no domingo, 06 de outubro, teve outros pontos polêmicos, como sua crítica à compreensão teológica calvinista, adotada pela maior parte das igrejas reformadas brasileiras.

Ainda sobre a influência do mundanismo no meio evangélico, o pastor recitou um trecho da carta do apóstolo Paulo aos fiéis em Corinto, quando exortou o povo de Deus a abandonar práticas de vida que contradizem o Evangelho.

“Que conversa é essa? Na tua Bíblia não tem II Coríntios, capítulo 6, a partir do versículo 14? Eu cito pra você: ‘Que sociedade tem a justiça com a injustiça? Que comunhão tem a luz com as trevas? Que concórdia entre Cristo e Belial? Que parte tem um fiel com um infiel? Que consenso há entre o templo de Deus e os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse ‘Neles habitarei e com eles andarei, eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo pelo que saí do meio deles. Apartai-vos, não toqueis nada imundo, então eu vos recebereis. Eu serei para vós, Deus, e vós sereis para mim, filhos e filhas’”.

“Eu admiro pastores que dão cachês milionários para essa gente que está deturpando a nossa juventude. E vai ver a vida de muitos deles, vivem em prostituição. ‘Ah, mas canta muito lindo’, ‘Mas prega muito’. Estamos substituindo caráter por talento”, concluiu o pastor.

Assista no vídeo abaixo o trecho em que o pastor critica artistas gospel que compareceram ao Rock in Rio:

Professor usa a Bíblia para dar aulas de História e ganha o “Prêmio Educador Nota 10”


No universo acadêmico não restam dúvidas de que a Bíblia é, sim, um documento de valor histórico inestimável. O que para os seguidores do judaísmo e cristianismo é a Palavra de Deus escrita, pesquisadores de todo mundo reconhecem ser, também, o conjunto de registros mais bem preservado e confiável sobre a antiguidade.

Diante desse entendimento, o professor Di Gianne de Oliveira Nunes revolucionou a sua maneira de dar aulas de História no projeto Regime Fechado, Visão Aberta, que deu a ele o Prêmio Educador Nota 10 em 2017. “Não tem um dia que não me lembro desse episódio”, disse o educador.

Di Gianne dá aulas de História na EE Monsenhor Alfredo Dohr, cuja extensão são salas de aula dentro do presídio, e foi nesse contexto onde um dos alunos lhe perguntou que poderia usar a Bíblia como referência para ensinar a sua disciplina.

“Tudo começou quando percebi que havia mais bíblias do que livros de História e um aluno me perguntou se a bíblia podia ser usada como fonte histórica”, disse o professor.

“Fui mostrando a eles que era necessário separar o religioso da narrativa histórica. Fomos debatendo e criando um caminho com um início, meio e fim, até culminar na nossa apresentação final”, completou.

Di Gianne notou que uma vez retratado o conteúdo da sua disciplina através dos relatos da Bíblia, conseguiu despertar o maior interesse dos alunos. Aulas sobre o Egito, Babilônia, Grécia, Roma, Assíria e tantas outras regiões, povos e culturas, encontraram pleno respaldo nos registros do livro sagrado.

“Eles contavam que falavam sobre o projeto com seus parentes, que tinham mais assunto. Eu fui notando que aquilo tudo era uma semente do conhecimento e até a autoestima deles melhorou. Quando ganhamos o prêmio foi uma coisa de louco”, afirmou o docente.

“Esse projeto é totalmente replicável em outras escolas, eu mesmo já levei para outras cidades e até mesmo salas de aula em outros presídios”, acrescenta, segundo o portal Nova Escola.

Muçulmanos queimam mãe e filhos de cristão aos gritos de “Alá Akbar”


Foto: Mera Ilustração

Extremistas islâmicos atacaram uma família de cristãos em uma região situada há 50 quilômetros de Kampala, em Uganda, mas precisamente em Nakaseke.

Ali Nakabale teve sua casa invadida, seus dois filhos foram mortos, um com 9 e outro com 6 anos, a mãe de Ali, que cuidava dos netos, também foi assassinada, ao lado de seu esposo, padrasto de Ali.

“Ao chegar em casa, encontrei-a destruída pelo fogo que queimou meus quatro membros da família, incluindo meus dois filhos”, disse Ali ao Morning Star News.

O crime aconteceu em 20 de agosto e Ali ainda se lembra de ter ido ao necrotério identificar os corpos. Seus vizinhos testemunharam o ataque e contaram detalhes sobre o que aconteceu naquele dia.

Uma das testemunhas, que teve o nome preservado, disse que os terroristas atearam fogo e gritaram a frase usada por radicais islâmicos.

“Vimos fogo saindo da casa de Hamidah com gritos altos dos muçulmanos dizendo: ‘Alá Akbar [Deus é maior]’”. Ainda segundo ele, várias pessoas foram até a casa tentar ajudar, mas quando se aproximaram a casa já havia sido demolida e todos estavam mortos.

Naquele mês completava um ano que Ali Nakabale e sua mãe, Nakya Hamidah, 56 anos, haviam trocado o Islã pelo Cristianismo.

A esposa de Ali, Sandra Nakamada, 32 anos, não aceitava que os filhos fossem levados aos cultos e passou a espancar as crianças.

“No mesmo dia, minha esposa me deixou e saiu de casa. Ficamos assustados porque sabíamos que nossas vidas estavam em perigo. Por três meses, nenhum muçulmano visitou nossa casa”, conta Ali.

A situação trouxe questionamentos no coração de Ali a respeito de Deus, um conflito que o deixou aflito. “Ele precisa de aconselhamento e orações neste momento difícil”, disse uma fonte local que, por segurança, resolveu não se identificar.

Na opinião dos Internautas, Câmara de Manoel Vitorino deverá ser substituída em 90% dos vereadores


Se os internautas continuarem nessa opinião e conseguirem influenciar, por meio da Web para o resultado das eleições 2020, almenos 8 dos atuais vereadores perderão a cadeira do parlamento municipal nas próximas eleições.

O Portal Catingal realizou uma enquete para conhecer, como anda a cabeça do internauta sobre a política de nosso município e o resultado foi surpreendente, o povo quer mudança geral na câmara de vereadores.

Confira no vídeo abaixo o resultado comentado pelo Jornalista Levy Barros, que vem observando a política de nosso município a alguns anos e tem influenciado com suas opiniões e seu trabalho jornalistico em nosso município.

Michelle Bolsonaro se reúne com esposas de governadores


Michelle Bolsonaro e esposas de governadores (Foto: Reprodução / Facebook)

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, usou as redes sociais para comentar o encontro que teve com esposas de governadores, em um evento que aconteceu em Brasília.

O propósito da reunião, segundo a esposa do presidente Jair Bolsonaro, foi realizar um primeiro encontro com o objetivo de divulgar o Programa Pátria Voluntária.

Michelle afirmou que a conversa com elas foi produtiva e que conheceu alguns trabalhos que já são desenvolvidos em alguns estados brasileiros, de forma a ajudar quem precisa.

“Temos em comum a vontade de ajudar quem precisa e dar visibilidade a causas importantes. Juntas, podemos motivar mais pessoas a serem voluntárias e contribuírem para um Brasil mais solidário”, disse.

A primeira-dama tem buscado desenvolver projetos voltados principalmente para os deficientes. Desde que Bolsonaro chegou ao poder ela tem se destacado nesta área.

Fatalidade: Acidente de trabalho deixa um morto em Manoel Vitorino


Foto: Levy Barros

O trabalhador Antônio Wilson Silva Tôrres, que trabalhava para a empresa de energia Sae Towers, que construía a linha de transmissão de alta tensão de Poções a Sapeaçu na Bahia, morreu na cidade de Manoel Vitorino, vítima de um acidente de trabalho. O fato aconteceu hoje à tarde (09), quando o serviço estava sendo realizado em uma das torres, havia dois trabalhadores em cima e dois em baixo, quando uma catraca despencou e acertou a cabeça de Antônio que veio a óbito no local. De acordo com informações obtidas pelo Jornalista Levy Barros, até as 21 horas o corpo ainda estava no local do acidente aguardando a chegada do IML, a polícia civil também esteve no local para acompanhar o caso.