Ator de “Deus Não Está Morto” criou produtora ao ver seus filmes rejeitados por Hollywood


“Provavelmente, eu era a última pessoa do planeta que deveria ter entrado nessa indústria”. O relato um tanto inusitado de David A. R. White – ator e um dos criadores de “Deus Não Está Morto” – revela parte de sua história e como acabou se aproximando do cinema e posteriormente das produções cristãs.

O ator, produtor e diretor contou em uma entrevista concedida ao pastor Maurício Fragale sobre parte de sua jornada pessoal e revelou que, por mais que sua relação com o cinema cristão hoje seja intensa, quem o conheceu na infância e adolescência não imaginaria esse futuro para sua vida.

“Eu cresci como um menonita, muito conservador. Eu só assisti a um filme no cinema com 18 anos de idade. Eu não sabia nada sobre entretenimento, não tivemos um programa de teatro na escola ou algo parecido. Até aquele momento, eu só ficava sentado em cima de um trator no meio de um campo de trigo, mas eu tinha esse desejo em meu coração de fazer parte da indústria do entretenimento. Eu não conseguia explicar, não fazia sentido”, contou.

“Provavelmente, eu era a última pessoa do planeta que deveria ter entrado nessa indústria. Mas eu acredito que Deus coloca esses sonhos e desejos nos nossos corações. E lá estava eu, na escola bíblica, fazia um ano, e eu simplemente achei que devia ir para Hollywood”, acrescentou.

David relatou que mesmo tendo o desejo vivo em seu coração, lutava contra ele, por ter sido criado sob uma cultura tradicionalista.

“Eu não diria a ninguém para fazer isso. Não foi fácil para os meus pais, também”, explicou. “Durante seis meses eu dizia para mim mesmo que ‘não podia ser bom’. ‘Certamente, não pode ser bom sair da escola bíblica e ir para Hollywood, me tornar um ator’. Mas eu não consegui esquecer isso. E eu acredito que, muitas vezes, quando o Senhor coloca esses sonhos dentro de nós, não conseguimos esquecer. Eles são maiores que nós”.

David disse que a reação inicial de seus pais foi um silêncio um tanto “preocupante”, mas também destacou um importante ensinamento que seu pai lhe deixou e ele o ator quer repassar a seus filhos.

“Ele disse: ‘Não importa o que você faz, contanto que você sirva ao Senhor em primeiro lugar’. Foi difícil para eles dizerem isso, mas eles disseram: ‘Nós te apoiamos”, relatou.

O ator então passou a trabalhar em filmes de Hollywood, mas o desejo de usar seu talento para divulgar a mensagem do Evangelho continuava vivo em seu coração.

“Me ofereceram um papel em um filme cristão e meu coração sempre esteve voltado para isso. Filmes cristãos não existiam. Apenas a organização Billy Graham, que produzia filmes a cada três anos. Às vezes, nos nossos de domingo à noite, nós assistíamos a um filme do Billy Graham. Mas não funcionava muito bem, o projetor não reproduzia direito ou comia o filme, o som não funcionava, nunca conseguíamos ver um filme direito”, contou. “Lentamente, o Senhor me deu um coração e paixão por isso”

Apesar de estar realizando um sonho, David percebeu que ainda havia muitos obstáculos a serem vencidos. Foi então que ele deu um importante passo de fé: criou sua própria produtora.

“Quando começamos a produzir esses filmes, vimos que precisávamos de distribuição, porque os estúdios [Hollywood] nos bloqueavam. Eles diziam: ‘Não queremos participação nisso… Isso é como um filme de igreja e não tem lugar aqui’. Então, em 2005 criamos a PureFlix Entertainment”

Sobre “Deus Não Está Morto”

Sem sombra de dúvida, o projeto que definitivamente colocou a produtora de David em evidência foi o filme “Deus Não Está Morto”. Mas o ator revelou que o caminho até o sucesso da produção não foi nada fácil.

“No processo batemos de frente com tudo. Fizemos um filme que ninguém queria assistir. Não tínhamos como juntar 5 milhões de dólares necessários para colocar nos cinemas. Oramos e sentimos Deus dizendo: ‘Faça!’, mas não conseguíamos fazer. Então, começamos a ir em vários estúdios e perguntávamos: ‘Vocês querem lançar esse filme nos cinemas?’. Ninguém queria”, contou.

“Todos nos recusaram. E pensávamos: ‘Deus, o Senhor nos deu esse desejo no coração. Nós acreditamos que esse filme precisa ser exposto. Mas ninguém quer e não temos dinheiro’. Então, esperamos e esperamos. Até que finalmente, no último momento, ele veio e nos deu a verba necessária, o filme foi aos cinemas e a semana seguinte mudou nossas vidas”, acrescentou.

O primeiro filme da franquia “Deus Não Está Morto” ficou em primeiro lugar entre os filmes independentes de 2014 nos EUA, permanecendo por 20 semanas em cartaz nos cinemas e quebrando um recorde de bilheteria.

Ao comentar o sucesso do filme, David reconheceu a mão de Deus em todo o processo.

“Tudo volta à fidelidade de Deus. Isso é Deus. E eu acredito que foi por isso que Deus nos fez passar por tudo aquilo. Foi para dizer: ‘não é você. Sim, vou usar seus dons e talentos e quero que seja excelente no que faz’. Mas no fim das contas é o bem e o favor que vem Dele”, destacou.

Andressa Urach conta dificuldades em largar drogas e sexo


Andressa Urach e Luciana Gimenez. (Foto: Divulgação / RedeTV!)

A ex-modelo Andressa Urach, 31 anos, se prepara para lançar seu segundo livro, “Desejos da Alma” onde conta alguns desvios que teve após a conversão, inclusive que teria contraído uma doença sexualmente transmissível.

Em entrevista ao programa Luciana By Night nesta terça-feira (8), Andressa confessou que largar o vício da cocaína e o sexo foram suas maiores dificuldades.

Para conseguir vencer o vício da droga, ela precisou se distanciar dos seus amigos. “Alguns viviam em baladas e usavam drogas, mas não tem como continuar convivendo”, revelou.

Ela confessou que o sexo também foi difícil, porque antes da conversão ela tinha uma vida sexual bem ativa. “Era uma das coisas mais complicadas de ficar sem para mim”.

Nessa batalha contra os “desejos da alma”, Andressa “caiu no pecado” e foi onde contraiu uma DST, história que ela conta no livro que será lançado na Expo Cristã em São Paulo no dia 17 de outubro.

A Expo Cristã será realizada no Anhembi entre os dias 17 e 20 de outubro com entrada gratuita.

Assista:

Bolsonaro “ora” para que Deus “lave a cabeça desta imprensa fétida”


Jair Bolsonaro. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), fez uma oração na manhã desta terça-feira (8), em frente ao Palácio do Alvorada, em Brasília, Distrito Federal, pedindo para que Deus “lave a cabeça desta imprensa fétida”.

A oração foi feita pouco depois do presidente ter sido abençoado por um pastor evangélico que esteve em frente à residência oficial da Presidência da República.

Após receber a oração feita pelo pastor e cumprimentar populares que estavam no local, Bolsonaro concedeu uma rápida entrevista coletiva a imprensa, mas antes de deixar o local fez a oração.

Ele havia respondido perguntas sobre o óleo que vazou em praias nordestinas. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles também participou da coletiva.

Jornalistas também perguntaram sobre as denúncias de tortura em um presídio no Pará, que está sob gestão do governo federal.

Neste momento o presidente se mostrou irritado e ironizou o fato de que nos governos anteriores a imprensa não via problemas, deixando o local em direção ao veículo oficial do presidente.

“Deixa eu orar aqui agora. Meu Deus –não sou pastor, não. Meu Deus, salve, lave a cabeça dessa imprensa fétida que nós temos. Lave a cabeça deles. Bote coisa boa dentro da cabeça deles, [para] que possam perguntar, me ajudar a publicar matéria para salvar o nosso Brasil”, ressaltou. G. Prime

Mais de meio milhão de alunos levam a Bíblia para escola em nome da liberdade religiosa


Alunos com a Bíblia na escola. (Foto: Reprodução / Instagram)

A campanha “Bring Your Bible to School Day on Thursday” (Traga Sua Bíblia Para Escola) de 2019 atraiu cerca de 650.000 alunos de diversas partes dos Estados Unidos, número muito maior que os 8.000 alunos que participaram pela primeira vez desta campanha que começou em 2014.

Realizado na última quinta-feira (3), o evento promoveu uma oportunidade única para os jovens compartilharem sua fé e ainda defenderem a liberdade religiosa cada vez mais ameaçada pelo aumento do secularismo nos EUA.

A campanha é liderada pelo ministério Focus on the Family que este ano encorajou os participantes e suas famílias a realizarem desafios mensais de ações concretas que eles pudessem adotar para viverem a fé nas escolas e na comunidade onde vivem ao longo do ano.

Pelas redes sociais, o grupo cristão agradeceu a todos que participaram da campanha.

“Que incrível #BringYourBible para o dia da escola! Queremos agradecer a todos os alunos e famílias que fizeram o evento deste ano grande – mais de 650,000 alunos participaram!!!”, escreveram.

Crianças e adolescentes de diversas idades usaram as redes sociais para mostrar que estavam na escola carregando o seu Livro Sagrado.

Pelas redes sociais da campanha, várias dessas imagens foram compartilhadas e algumas traziam a experiência do aluno com o compartilhamento de sua fé no ambiente escolar. G. Prime

Ateu com câncer terminal pede para ser batizado


Thomas Roberts se batizando. (Foto: UAB News)

Dias antes de falecer, o norte-americano Thomas Roberts pediu para se batizar. A história dele foi compartilhada nas redes sociais porque ele sempre foi ateu, mas teve como seu último desejo se batizar.

O capelão do Hospital da Universidade do Alabama em Birmingham, Nem Corey Agricola, contou a história no site da instituição, dizendo que Roberts estava com câncer terminal e se decidiu por Jesus.

Roberts sabia que ele tinha apenas alguns dias de vida, então a equipe do hospital precisou agir rapidamente.

O médico, Dr. Ashley Nichols, responsável pelo tratamento do paciente, pode garantir que ele ficasse sem oxigênio por um período curto, apenas para ser submerso na água.

“O dr. Nichols deixou claro que ele só seria capaz de ficar sem oxigênio por alguns segundos, o que significava que não poderíamos jogá-lo pela rampa na cadeira de rodas da piscina, então tivemos que usar o teleférico para colocá-lo na piscina”, contou o capelão.

A decisão de um ateu em aceitar a Cristo e se batizar emocionou a muitos que conheceram a história de Thomas Roberts, por isso o capelão usou as redes sociais para contá-la e ministrar outras pessoas.

“Agradecemos a Deus pelo presente bom e perfeito deste dia. Este é um dos melhores dias da sua vida, Thomas, porque estamos comemorando sua nova vida”, escreveu.

O batismo de Roberts aconteceu no começo de setembro deste ano e ele veio a falecer no dia 9 do mesmo mês. Gina Gibson, uma das irmãs de Roberts, disse que o batismo de seu irmão lhe traz “total conforto e paz” porque ela “sabe onde ele está indo agora”.

“Agora haverá muita alegria em saber para onde ele está indo. Ele está em paz. Ele nasceu de novo. Você pode ver isso no rosto dele após o batismo. Ele nasceu de novo”, disse ela ao FaithWire.

Polícia Militar de Manoel Vitorino alerta condutores e passageiros sobre futuras infrações


A Polícia Militar em Manoel Vitorino, visando a segurança dos condutores e passageiros de motocicletas, bem como da população como um todo, informa que doravante será cumprido com mais rigor o que está previsto no artigo 244, incisos I e II, do CTB, que trazem, respectivamente, as infrações de “Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção” e “Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor transportando passageiro sem o capacete de segurança”, de natureza gravíssima , sujeitas à penalidade de multa e de suspensão do direito de dirigir.

Polícia Militar de Manoel Vitorino

Pouco mais de um ano após sofrer overdose, Demi Lovato se batiza no Rio Jordão


Foto: Divulgação

A cantora e modelo internacional Demi Lovato, mais uma vez virou manchete nos principais noticiários do mundo, mas dessa vez por uma boa notícia. Pouco mais de um ano após sofrer uma overdose por abuso de drogas, ela se batizou no Rio Jordão, o mesmo lugar onde, segundo a Bíblia, Jesus Cristo foi batizado.

Lovato falou sobre o momento ao publicar fotos em sua conta no Instagram no dia primeiro. “Ser batizada no rio Jordão, o mesmo lugar que Jesus foi batizado, nunca me senti tão renovada em minha vida”, escreveu a cantora, que ressaltou sua ligação familiar com Israel.

“Eu sou uma cantora americana. Fui criada como cristã e tenho ancestrais judeus. Quando me ofereceram uma oportunidade incrível de visitar os lugares sobre os quais li na Bíblia, eu disse que sim”, acrescentou.

Há anos Demi Lovato luta contra a dependência química. Em março de 2017, por exemplo, ela comemorou o feito de ter passado cinco anos sem usar drogas, dizendo na ocasião que “não conseguiria sem Deus“. Em julho de 2018, no entanto, a cantora teve uma recaída e ficou à beira da morte ao sofrer uma overdose.

A mãe da cantora, Dianna De La Garza, falou na época que a sua filha só conseguiu sobreviver graças ao grande número de orações em prol da sua vida.

“Eu sinto que a razão pela qual ela está viva hoje é por causa das milhões e milhões de orações que subiram [ao céu] naquele dia em que todos descobriram o que estava acontecendo. Eu acho que ela não estaria aqui se não fosse por essas orações”, disse ela.

Já em Israel, pouco mais de um ano após o episódio da overdose, Demi Lovato se disse completamente renovada e que o seu “buraco no coração” foi preenchido pelo amor de Deus.

“Esta viagem foi muito importante para o meu bem-estar, meu coração e minha alma. Sou grata pelas lembranças e pela oportunidade de poder preencher o buraco do tamanho de Deus em meu coração. Obrigado por me receber, Israel”, finalizou a cantora, segundo o G1.

A um ano das eleições 2020 Manoel Vitorino segue no descrédito total, entenda!


Foto: Levy Barros

A exato um ano das eleições de 2020, Manoel Vitorino vive uma situação de descrédito de parte dos que poderiam ser um futuro candidato a vereador ano que vem, para o executivo, não há muito o que fazer, a eleição será decidida entre dois grupos políticos novamente, dessa vez, sem a rivalidade do passado, porém com a mesma herança do eleitorado.

Os pré-candidatos Silvany Barros e Robson Vilar são os que lideram em todas as pesquisas, com pouquíssima chance de um novo candidato conseguir chegar perto para uma possível disputa futura.

Os dois candidatos sofrem as consequências do descrédito acima citados, em Manoel Vitorino, assim como em todas as regiões, ninguém quer ser candidato a vereador. O jornalista Levy Barros conversou com vários nomes de influência, que poderia ser um futuro candidato e que teria condições de bancarem suas candidaturas e a resposta foi unanime, eles não acreditam mais em grande parte do eleitorado, que se queixa quatro anos, mas tende a votar nos mesmos.

Até o momento não há novos nomes para candidatos a vereadores e os que tem pretensão possuem pouquíssima chance de serem eleitos, o medo que o cidadão Manoel-vitorinense tem de se lançar candidato é o mesmo que o eleitor tem de votar em um corrupto pois nessa disputa não dar para calcular quem de fato é mais corrupto, o certo é que, em terra de eleitor honesto não há político corrupto.

John Pedro Gonçalves da Silva, mais conhecido como Papuko foi candidato em 2016 e me disse que não tem coragem de entrar numa segunda disputa enquanto a população não mudar a maneira de pensar e de votar em uma eleição.

“A maioria não vota em candidato a vereador de graça, aí o cara se elege e chega na câmara lascado, tendo que negociar tudo para recuperar o que gastou para ser eleito, eu como não sou corrupto, não vou participar dessa facção”, pontou John Pedro.

Fonte: Levy Barros